Close

22 de Julho, 2019

Angola Mining Talks – Seguradoras respondem às oportunidades do sector mineiro em Angola

Foi realizado no dia 26 de Junho de 2019, em Luanda, no Hotel Diamante, o primeiro fórum “Angola Mining Talks” que reuniu cerca de 150 participantes entre autoridades políticas do sector de recursos minerais e petróleo, gestores e administradores integrados nos sectores públicos e privados na indústria mineira, especialistas em gestão mineira, investidores, banca, seguros, fornecedores de serviços ao sector mineiro e estudantes.

O Assessor do Conselho de Administração da ENSA, Agostinho Prata, disse no fórum que as seguradoras se viram obrigadas a criar produtos e garantias para salvaguardar a proteção e os interesses da actividade mineira no país.

“A actividade mineira carrega inúmeros riscos. Entretanto, as seguradoras devem olhar para as oportunidades do sector mineiro e com os seus produtos salvaguardarem todos os envolvidos nestas actividades, que contribuem para o desenvolvimento económico e social do país”, considera Agostinho Prata.

O primeiro fórum “Angola Mining Talks”, que teve como objectivo a divulgação de outros recursos minerais além dos diamantes, bem como a atracção de mais investidores no sector, permitiu também uma alargada abordagem sobre as tendências mundiais do sector mineiro, desafios locais e mundiais para os líderes empresariais do sector mineiro em Angola e o sector segurador-oportunidades emergentes com o sector mineiro.
Para o Bastonário da Ordem dos Engenheiros, Paulino Neto, o sector mineiro tem um grande desafio, o de atrair investidores para o sector, sejam eles nacionais ou estrangeiros.

“Para que se consiga atrair investidores é necessário que se tenha um ambiente atractivo e que possa competir com outras regiões que também lutam por atrair investidores para os respectivos sectores da mineração”, transmitiu Paulino Neto, no seu discurso de abertura.

O secretário de Estado para a Geologia e Minas, Jânio Corrêa Victor, ao discursar na abertura do Fórum, garantiu que o Governo angolano está a preparar a criação da Agência Nacional dos Recursos Minerais, que vai retirar o atual papel de concessionária às empresas públicas do sector.
“Com a agência queremos retirar o papel de concessionário das nossas empresas públicas e dá-lo à agência e com isso vamos fazer com que as nossas empresas públicas do sector se concentrem mais no seu foco, que tem a ver com toda a cadeia de valor, que começa com a prospeção, produção até a comercialização dos produtos minerais”, esclareceu governante.

Jânio Corrêa Victor, referiu também que a nova política de comercialização do diamante fez com que o subsector dos diamantes “ficasse mais aberto e mais transparente”, pelo que, “temos estado a registar um aumento substancial da produção e também de receitas provenientes das vendas”, frisou.

Angola arrecadou até ao primeiro trimestre deste ano, segundo a Empresa Nacional de Comercialização de Diamantes de Angola (SODIAM) 368,66 milhões de dólares pela comercialização de 2,6 toneladas de diamantes, o correspondente a um aumento de cerca de 31,5% em relação ao mesmo período de 2018.

A primeira edição do “Angola Mining Talks” foi patrocinada pela ASAN e contou com o apoio do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos e a Ordem dos Engenheiros de Angola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *